SVicente's Blog

Follow me and you'll know what I like to do

Carnaval 2017 – São Francisco do Sul a Joinvile

Depois de rodar os 250km até chegar na Ilha de São Francisco do Sul tiramos um dia pra descansar (day off). Depois de dormir bem, demos uma volta pelo Centro Histórico (SFSul é uma das primeiras cidades fundadas no Brasil – a terceira mais antiga! Data de 1553 o primeiro registro da colonização portuguesa.

Fica às margens da Baía de Babitonga.

E no dia seguinte – Quarta-Feira de Cinzas – foi o dia da volta pra São Paulo. Por Joinvile, de ônibus da Viação Catarinense.

Mas antes, pela manhã, fomos até a Praia do Forte, antes visitando o forte que fica nesta mesma praia – Forte Marechal Luz – da Marinha Brasileira. Lá tem um museu histórico militar. No alto de uma subida de 1,5km (que foi a nossa última da viagem). A vista é legal e os artefatos históricos no museu também. A praia é muito tranquilinha – com água pela canela.

Forte Marechal Luz

Praia do Forte

E para a cidade de Joinvile, pedalamos mais 60km, pela BR-280. O início foi um pouco tenso porque a rodovia tinha nenhum acostamento! Mas depois deu para desenvolver bem e fizemos um pedal veloz. Chegamos em quase 2 horas e 15 em JOINVILE. Mas lá, caiu uma chuva bem pesada e “demos um tempo” até ela passar. Na Rodoviária mesmo, concluímos lá pelas 6 da tarde. A volta pra S.Paulo levou umas 9 horas.

BR-280 às margens do canal que separa a Ilha de S.Francisco do Sul do continente.

 

Centro de Joinvile – tarde chuvosa

Para quem quiser os telefones/endereços/preços das hospedagens que fizemos (nada a reclamar, por sinal, muito PELO CONTRÁRIO – sem maiores luxos mas com conforto e limpeza), segue:

 

 

Advertisements

March 22, 2017 Posted by | Bike | , , , | Leave a comment

Carnaval 2017 em SC: Tijucas-São Francisco do Sul – 250km

Este relato se refere ao ciclotour que eu e Bruno de Araújo fizemos no Carnaval (2017) pelas praias do Litoral Norte de Santa Catarina. Partindo de Tijucas (chegamos lá de ônibus, vindo de S.Paulo) e passando por onze municípios – Bombinhas, Porto Belo, Itapema, Camboriú, Balneário Camboriú, Itajaí, Navegantes, Penha, Baln. Piçarras, Barra Velha, Baln. Barra do Sul – até alcançar a Ilha de São Francisco do Sul. Foi de sexta-feira (24/Fev) até terça-feira (01/Mar). Dias de muito sol, calor, praia à vontade e muita curtição no pedal. Nesse trecho foram aproximadamente 250km (o mapa está aí embaixo).

Um pedal que marcou meu retorno às cicloviagens (após um ano de “secura” em 2016, para cuidar da saúde). NÃO PODERIA SER MELHOR.

No último dia (a Quarta de Cinzas – 02/03) ainda voltamos no mesmo gás pedalando até Joinvile, por mais uns 60km. E aí choveu no final (já faltando uns 10K, pra chegar na Rodoviária). Para “batizar” esse pedal que a nossa dupla fez com todo o prazer do mundo! Resolvi separar este final e o day off na ilha de S.F.Sul em outro post.

O mapa total do circuito traçado no Bikely.com:

Aproximadamente 250km feitos em 4 dias de bastante sol e praias.

 

1o. dia 24/fev – Tijucas-Bombinhas-Porto Belo-Itapema (+/- 65 km)

A saída em Tijucas foi por volta das 9 e meia da manhã. Animação total! #partiupedal

Na Praia do Mariscal tomamos um banho refrescante naquele mar de Bombinhas.

Essa subidona no Morro do Zimbros “pegou”. Curta, mas íngreme. Mas valeu pela vista. Lá embaixo, Porto Belo.

Vista da baía de Porto Belo

A primeira noite foi em Meia Praia, Itapema.

—————————————————————————————–

2o. dia 25/fev – Itapema-Camboriú-Baln.Camboriú-Itajaí-Navegantes (+/- 70km)

A Pousada São Francisco, onde passamos a noite em Itapema. Muito boa! Recomendo. Saída pela manhã.

Fomos para Camboriú, via Morro do Encanto. Uma subida bem interessante, de meia hora mais ou menos. Essa foto fiz no alto (na divisa).

Esta é a vista de baixo da Passarela da Barra (“do Maneca”), em Balneário Camboriú. Novidade para mim. Achamos bem legal esta obra de engenharia, uma nova atração turística de balneário.

Foto feita em um mirante da Interpraias, com a Praia de Taquaras ao fundo (em que depois demos um mergulho e descansamos). Vista linda.

Foto cartão-postal da praia de Balneário Camboriú com seus altos e luxuosos prédios.

Refazendo uma parte do circuito “Costa e Verde e Mar” fomos pela areia da Praia do Buraco, desde a praia central de Balneário até o Morro do Careca. Uma dureza pra empurrar isso!

Vista da chegada em Navegantes, atravessando a balsa de Itajaí pra lá. Anoitecendo. Chegamos à noite no Forte Hotel.

—————————————————————————————–

3o. dia 26/fev – Navegantes-Penha-Baln.Piçarras-Barra Velha-Baln.Barra do Sul (+/- 55km)

Primeira parada do 3o. dia foi pra bater umas fotos na entrada do parque Beto Carrero World, em Penha. (Até encontramos um outro grupo de bikers por lá, do interior de SP)

Visão da praia de Barra Velha.

Pedalando na solidão do trecho de laguna entre Barra Velha e Balneário Barra do Sul. Solo arenoso! Pedal de força.

Chegando ao Balneário Barra do Sul, ainda curtimos um pouco a praia de Salinas em frente ao Camping onde dormimos.

—————————————————————————————–

4o. dia 27/fev – Balneário Barra do Sul-Praia do Ervino-Ilha de São Francisco do Sul (+/- 60km)

Último trecho de pedal de asfalto que teve no 4o. dia foi nessa estrada em direção à Praia do Ervino, já na ilha de S.F.Sul. Pegamos um ritmo até bom!

Depois teve outra passagem por reserva ecológica – o Parque Estadual do Acaraí. Uns 20km quase de pura praia, beleza natural cercada de dunas.

Paisagens belíssimas. Praia deserta.

Avenida das Dunas e lá, bem ao fundo, a “Prainha” já na parte habitada da ilha de São Francisco do Sul. O circuito dos 250km terminaria aí (+/- 14:45h).


Filmes com a GoPro (somente o segundo dia, trecho Itapema-Camboriú)

Também deixei a rota toda traçada no meu perfil do Runtastic (pública).

Resumo da cicloviagem:

Para a minha primeira viagem de bici após as cirurgias de 2016, o desempenho foi ótimo. E a companhia do biker Bruno de Araújo foi super de boa. Pedal excelente. Quando precisamos, fizemos um ritmo legal e quando achamos que tínhamos de “só curtir” fomos na manha. Ou seja, com todos os tipos de percurso que pegamos – asfalto, areia, cascalho, buracos adoidados, subidas, planinhos, sol em cima… tudo VALEU. Se tivesse de repetir, faria sem problemas e sem reclamar. Foi uma dupla e tanto!

Recomendo pra qualquer um curtir o Litoral Norte de SC, porque além de as praias serem todas muito boas, bem frequentadas, como local de pedalar não se tem o que reclamar. Bem recebidos por onde passamos, as vias tranquilas, tudo muito sossegado. Aliás, como sempre tem sido por onde já pedalei em Santa Catarina.

March 14, 2017 Posted by | Bike | , , , , , , | Leave a comment